O que aconteceria se ficasse provado que Deus existe?

Num 1º momento, pareceria o fim dos problemas. Mas essa visão mudaria rapidinho…

Muita gente acredita em Deus, e fé não se discute. Mas o que imaginamos aqui ultrapassa o limite das crenças individuais. Estamos falando de a humanidade inteira, de repente, deparar-se com um Deus em “carne e osso”.

Para imaginar esse cenário, MUNDO ESTRANHO consultou Luiz Felipe Pondé, filósofo da PUC-SP, da Faap e da Unifesp, José Luiz Goldfarb, historiador da ciência da PUC-SP e os teólogos da PUC-SP Jorge Cláudio Ribeiro e Eduardo Cruz.

O resultado são os acontecimentos abaixo, que, vale ressaltar, são totalmente hipotéticos. Num primeiro momento, a população mundial poderia acreditar que todos os problemas iriam desaparecer apenas com uma ordem Dele. Mas, com o tempo, essa história ganharia contornos bem mais dramáticos…

1.  Para comprovar sua existência sem criar polêmicas entre as nações, o Criador convocaria uma reunião da ONU. Diplomatas incrédulos, claro, pediriam provas. Deus, bem-humorado, faria algum milagre ou algo do tipo, provando a todos que era quem dizia ser

2.  Sede da ONU, a cidade de Nova York receberia peregrinos do mundo inteiro. Companhias aéreas e aeroportos por todo o planeta entrariam em colapso por causa da procura dos fiéis. A cidade viraria um caos, com trânsito parado e soldados tentando conter hordas de crentes e curiosos

3.  A histeria coletiva levaria algumas semanas, até todo mundo se acalmar e se conformar com a existência divina. A mídia encararia Deus como uma celebridade. Emissoras de TV, jornais e revistas do mundo inteiro tentariam agendar entrevistas com Ele

4.  Entre a população haveria duas reações extremas. De um lado, doentes e miseráveis ficariam em paz, pois o Criador seria capaz de resolver tudo. Do outro lado, com medo da justiça divina, criminosos e desajustados entrariam em pânico, iniciando uma onda de suicídios

5.  Um efeito inesperado da presença de Deus poderia ser o colapso da economia. As pessoas deixariam de trabalhar e fariam passeatas exigindo a solução imediata dos problemas mundiais: “Comida para todos!”; “Saúde para todos!”

6.  As grandes questões não seriam mais decididas por governos, mas por Ele. Aborto pode ou não pode? Esse sujeito deve ir para a cadeia? E vale a pena de morte? Deus é quem daria a última palavra. Os governos se enfraqueceriam até finalmente deixarem de existir

7.  Alguns anos depois da aparição, o ser humano poderia perder a noção do que é certo ou errado e passaria a culpar o Criador por todos os males. Deus enfrentaria uma crise de popularidade. Uma mãe que perdesse seu bebê, por exemplo, acusaria Deus pela desgraça

8.  Diante de tanta confusão, Ele poderia optar por uma solução radical. Decidido a partir da Terra e voltar a seguir tudo de longe, Deus ofereceria o próprio sacrifício e “morreria” para a humanidade encontrar o rumo de novo. Mas não na cruz, que é uma coisa muito antiga…

CIÊNCIA X RELIGIÃO

Com Deus presente na Terra, os dois lados perderiam força

Quem acha que a presença de Deus favoreceria as religiões na milenar disputa com a ciência se engana. Na verdade, as religiões enfrentariam uma crise. Afinal, para que seguir as interpretações delas se o próprio Deus diria o que é certo e o que é errado? Grandes centros religiosos perderiam seu poder, e o Vaticano até poderia acabar sendo incorporado pela Itália.

Mas a vida dos cientistas também não seria fácil… O que havia antes do big-bang? Qual é a menor partícula dentro do átomo? Tais perguntas poderiam ser feitas diretamente ao Criador. Resultado: a ciência perderia sentido e os pesquisadores acabariam desempregados…

Por: André Santoro e Cristina Ventura

Fonte: Mundo Estranho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *